Usinas de Oxigênio Usinas de Nitrogênio Home

HIDROGÊNIO


SÍMBOLO QUÍMICO: H
Nº ATÔMICO: 1
PESO MOLECULAR: 2 g/mol
PONTO DE EBULIÇÃO (a 1 atm): -252,8ºC
PONTO DE FUSÃO (a 1 atm): -259,1ºC
TEMPERATURA CRÍTICA: -239,9ºC
PRESSÃO CRÍTICA: 12,8 atm

DENSIDADE DO LÍQUIDO (a P.E. e 1 atm): 70,8 kg/m³
DENSIDADE DO GÁS (a 20ºC e 1 atm): 0,083 kg/m³
GRAVIDADE ESPECÍFICA DO GÁS (a 20ºC e 1 atm): 0,06952
GRAVIDADE ESPECÍFICA DO LÍQUIDO (a P.E. e 1 atm): 0,07083
VOLUME ESPECÍFICO (a 21ºC e 1 atm): 11,98 m³/kg
CALOR LATENTE DE VAPORIZAÇÃO: 216,1 kcal/mol
LIMITES DE FLAMABILIDADE NO AR: 4,1 - 74,2% em volume
LIMITES DE FLAMABILIDADE NO OXIGÊNIO: 4,6 - 93,9% em volume
LIMITES DE DETONAÇÃO NO OXIGÊNIO 18,3-58,9% em volume
TEMPERATURA DE ATOIGNIÇÃO (a 1 atm): 579,5ºC
COEFICIENTE DE EXPANSÃO (Líquido para gás a P.E. e 20ºC): 1 para 851

Características físicas: Incolor, inodoro, nas Condições Normais de Temperatura e Pressão (CNTP) apresenta-se na fase gasosa.
Características químicas: Altamente inflamável, não tóxico, não corrosivo.
Pureza mínima: 99,9% (fase gasosa)
Nº da ONU

1049

Classe de risco: Gás inflamável.
 
Propriedades Atômicas
Massa Atômica: 1.00794
Eletronegatividade: Pauling: 2.2
Absoluta: 7.18 e V
Eletroafinidade: 72.8 kJ mol-1
Polarizabilidade: 0.7 Å3
Carga Nuclear Efetiva: Slater: 1
Clementi: 1
Froese Fischer: 1
Raios: H1-: 154 pm
Atômico: 78 pm
Covalente: 30 pm
Van der Waals: 120 pm
H 1+: 1x10-05 pm

Propriedades Eletrônicas
Energias de ionização atômicas: 1s : 1312 kJ mol-1
Energias de ionização sucessivas: H -› H + : 1312 kJ mol-1
Íons comuns : H 1 -, H 1 +

Propriedades da Substância Elementar
Substância Elementar Mais Comum : H\d2
Classe de Substâncias Elementares: não-metal
Origem : natural
Estado Físico : gás
Densidade [11K] : 76 kg m³
Preço : 1920$
Rede Cristalina : hexagonal de empacotamento compactotetragonal
 

O mais leve de todos os gases e o mais abundante elemento do universo.

O alquimista Paracelsus, no século XVI, ao observar o ferrro "dissolver-se" em ácido sulfúrico diluído notou que um gás era produzido e escreveu que, quando o ácido atua sobre o ferro "surge um ar que é expulso como uma rajada de vento"!

Van Helmont descreveu este gás como uma peculiar variedade de ar, que era combustível mas não suportava a combustão. Contudo, as suas ideias eram um pouco difusas, uma vez que confundiu o hidrogênio com outros gases como o metano, ou o dióxido de carbono que igualmente não sustentam a combustão.

Priestley, e genericamente todos os autores até 1783, usou o termo ar inflamável para descrever este gás, bem como os hidrocarbonetos, o sulfito de hidrogênio, o monóxido de carbono e outros gases combustíveis.

O hidrogênio gasoso surge na natureza em quantidades comparativamente pequenas. A atmosfera contém cerca de uma parte de hidrogênio para 15.000 a 20.000 de ar (em número de moléculas), embora a proporção deste gás aumente com a altitude.

Os gases emitidos por vulcões, minas de carvão e poços de petróleo muitas vezes contêm hidrogênio. Apesar disto, o hidrogênio é o elemento mais abundante no universo, constituindo a maior parte da composição das estrelas e da matéria inter-estelar. No início do século XX, observações espectroscópicas revelavam a sua presença em algumas nebulosas bem como na fotoesfera e na cromosfera do Sol.

O hidrogênio aparece frequentemente combinado com outros elementos. Com o oxigênio, forma a água, a substância mais abundante à superfície da Terra, e principal constituinte dos tecidos animal e vegetal. Os elementos oxigênio, hidrogénio e carbono são a base de todas as moléculas orgânicas.

O hidrogênio, obtido através da eletrólise da água ou de processos químicos, é amplamente utilizado em tratamentos térmicos, puro ou misturado com nitrogênio, na produção de amônia sintética e metanol, na refinação de petróleo, como um redutor de atmosfera, nas tochas de oxy-hidrogênio e no combustível de foguetes.

Além de largamente utilizado na indústria eletrônica, este gás é também fornecido para hidrogenação de gorduras vegetais de demais materiais orgânicos.